O Beco

Num charmoso cantinho da Joaquim Silva, na Lapa, funciona desde 2005 o Beco do Rato, lugar de música boa, cultura, gente bonita, personalidades, cerveja gelada e ótimos petiscos. No comando do balcão está Márcio Pacheco, responsável também pela melhor roda de samba do Rio, o Samba Luzia.

O mineiro de Itabirito incorporou como poucos o espírito do carioca, oferecendo aos seus clientes e amigos opções de lazer e gastronomia.

O Beco já foi palco para o gogó de Luiz Melodia, Toninho Geraes, Wilson Moreira, Moacyr Luz, Tia Surica, Beth Carvalho, Ubirani, do Fundo de Quintal, Wanderley Monteiro, Iracema Monteiro, Zé Luiz do Império, Paulão Sete Cordas, o saudoso Walter Alfaiate, entre muitos outros.

Devoto de São Jorge, Márcio fez um pouco de tudo durante sua trajetória, mas sempre soube que seu lar seria o botequim. E foi num espaço até então desprezado da Lapa que ele criou seu bar, aberto inicialmente como um depósito de bebidas, e ajudou a revitalizar a região, próxima à famosa Escadaria Selarón.

“Muito antes do Beco do Rato, naquele pedaço de rua entre a Joaquim Silva e Moraes e Vale, moraram Chiquinha Gonzaga e Madame Satã. Manuel Bandeira, Noel Rosa, Sinhô e Portinari freqüentemente também andavam por ali”, destaca Márcio Pacheco, que na década de 70 rodava por bares como Amarelinho, Lamas, Adega Pérola, Adega Coimbra, entre outros.

×
Não Encontrou o que procurava?
Atendimento aqui